Fotógrafo Viajante, Vale a Pena Deixar o Notebook em Casa?

Atualizado: 30 de Jan de 2021

Introdução

Viajar é algo maravilhoso, não é mesmo? É estimulante, revigorante. É ainda melhor quando nós, fotógrafos, decidimos capturar os melhores momentos dessa experiência. Mas não basta apenas fazer as fotos, nós queremos dividir essa alegria com nossos amigos e familiares. Eu, por exemplo, durante minhas viagens, ao final do dia, quando já estou no hotel descansando, separo um tempo para sentar em frente ao notebook e escolher algumas fotos que serão editadas e compartilhadas com familiares e amigos.


Compartilhar fotos feitas com um smartphone é algo simples e rápido, levando apenas alguns segundos. Mas e se você quiser compartilhar fotos feitas com a sua câmera? Bem, pode não ser tão rápido, mas ainda é um processo relativamente simples: basta colocar as fotos no notebook que você levou consigo para a viagem, editá-las e compartilhá-las nas redes sociais.


Alguns fotógrafos viajantes, entretanto, não consideram esse processo tão simples assim. Muitos não estão dispostos a levar um laptop na bagagem, argumentando os contras de se carregar peso extra e ter que se preocupar com furto nos hotéis. Assim, optam por deixar o computador em casa. Essa decisão, como veremos, pode gerar uma série de transtornos caso você queira compartilhar suas fotos.


linda fotografia de viagem de um barco navegando em Copenhague
Vista da ponte Inderhavnsbroen, Copenhague - Dinamarca.

Abrindo Mão das Facilidades

Ao decidir não levar um notebook para uma viagem, o fotógrafo deve estar ciente de que essa escolha trará sérias limitações ao lidar com suas fotos. Não são apenas a edição e a exportação que serão afetadas. Até o mero ato de descarregar fotos do cartão de memória para um disco rígido passa a ser uma tarefa mais complicada.

Alguém um dia perguntou se seria possível levar o Lightroom armazenado num HD externo e executá-lo em um computador qualquer (como os de uma Lan House, por exemplo), e a resposta é: infelizmente, não. O Lightroom só funciona se ele for instalado, como acontece com a maioria dos outros programas. Você até poderia levar seu catálogo no HD externo, mas ainda assim precisaria de um computador com o Lightroom instalado. E a versão desse Lightroom precisaria ser a mesma que você tem em casa e gerou o catálogo que você levou.


fotografia noturna mostrando os barcos e restaurantes em nyhavn, copenhague
Nyhavn, o velho porto de Copenhague - Dinamarca.

Sobrevivendo sem um Notebook

Sendo assim, o que você pode fazer para editar e compartilhar suas fotos caso não possa ou não queira levar seu notebook? Uma solução seria usar o computador do hotel (ou de uma Lan House) para descarregar as fotos do dia em um HD externo e depois copiar aquelas a serem compartilhadas para um pen drive que se conectaria ao smartphone. Daí, bastaria usar o Lightroom CC instalado no smartphone para importá-las, editá-las e exportá-las. Obs.: É bom lembrar que, ao usar seus dispositivos em um computador que não seja o seu, você corre o risco de ter seu HD, pen drive e cartão SD infectados por malwares.



O fluxo ficaria mais ou menos assim:

  1. Copiar as fotos do cartão de memória para o HD externo;

  2. Copiar do HD externo para um pen drive as fotos que deseja editar e compartilhar;

  3. Conectar o pen drive ao smartphone;

  4. Usar o Lightroom CC no celular para importar, editar e exportar as imagens.

Já está começando a achar uma boa ideia levar o notebook? Sem ele, o que é simples começa a ficar complicado e trabalhoso, não é mesmo? Só que ainda não acabou, tem mais complicação adiante.


Digamos que você chegue de um dia incrível de passeios, trazendo seu cartão SD repleto de fotos de Paris, Nova Iorque ou Buenos Aires. Você sabe que existem belíssimas fotos ali, e deseja compartilhá-las com sua família e amigos. Antes, porém, será preciso descarregá-las em seu HD externo e copiar algumas para o pen drive (como vimos acima). Primeiro, você terá que deixar o conforto e privacidade do seu quarto para ir ao saguão do hotel, onde está o computador. Depois, terá que contar com a sorte de o único computador não estar ocupado por outro hóspede, ou pior ainda, não estar quebrado.


recepção de hotel com computador destinado a hóspedes
À esquerda, num cantinho, o único computador do hotel destinado aos hóspedes.

Pois bem, digamos que você saiu do quarto, achou um computador disponível e está com o cartão SD na mão todo(a) empolgado(a). Mas, opa. Cadê a entrada para cartão? Então você se dá conta de que o computador não possui leitor de cartões. Por isso, não espere que os computadores de hotel possuam um leitor de cartões funcionando. Leve o seu próprio leitor. Além disso, eu também aconselho levar um Hub USB, já que não se pode contar com portas USB disponíveis para os três dispositivos: leitor de cartões, HD externo e pen drive.


Apesar de sempre levar meu notebook, eu passei por uma situação parecida na última viagem, quando ele deu defeito. Eu tive que recorrer ao computador do hotel para, pelo menos, descarregar as fotos nos HDs externos (um deles para backup). Quando cheguei ao computador, notei que ele não tinha entrada para cartões. Porém, como eu sempre levo meu leitor de cartões e um Hub USB, não tive problemas em realizar meus backups.


fotografia de viagem mostrando mesa de cafeteria com uma mochila, câmera e chocolate quente
Pausa para um chocolate quente.

Há um outro modo de editar fotos durante uma viagem sem levar o notebook, mas pode ser tão inconveniente quanto o anterior. É possível usar uma versão online do Lightroom CC através de um navegador web. Essa versão é mais simplificada que a versão desktop do Lightroom CC, mas já é o suficiente para aplicar ajustes básicos e exportar a foto pronta. Porém, existem três obstáculos, um maior que o outro, que, na prática, podem impedir você de usar essa solução. O primeiro problema é que, para utilizá-lo, primeiro é necessário ser assinante de um pacote de fotografia que inclua o Lightroom CC. O segundo problema é a falta de segurança. É extremamente desaconselhável entrar com seu login e senha em um computador público, pois você corre um grande risco de ter seus dados roubados. O terceiro obstáculo, talvez o maior, seja o fato de que você precisará fazer o upload de cada foto que queira editar, já que é assim que o Lightroom online funciona. Isso não é problema se suas fotos forem em JPEG e baixa resolução. Contudo, se você fotografa em RAW, estará diante de um grande inconveniente, principalmente se a internet do hotel não for boa. Imagine ter que enviar para a nuvem 5 ou mais fotos, cada uma com tamanho de 25 a 30 MB, para só então poder editá-las. Fica praticamente inviável devido à quantidade de tempo perdido.


captura de tela de navegador web rodando Lightroom CC
Lightroom CC via navegador web.

Conclusão

Como vimos, é possível importar, editar e compartilhar suas fotos sem usar um notebook durante a viagem. Contudo, o processo de backup, importação, edição e exportação para compartilhamento torna-se mais complicado, com etapas extras que consomem tempo valioso. Vale a pena deixar o notebook em casa? Eu não sei você, mas na minha opinião de fotógrafo e viajante, não. Não vale a pena correr o risco de não ter um computador para usar; não vale a pena o risco de pegar vírus; não vale a pena o malabarismo com arquivos para poder passá-los para o smartphone; não vale a pena perder tempo. Um notebook hoje mal chega aos 2 Kg; não vai fazer muita diferença no peso de sua bagagem. Para mim, não há nada que compense chegar no quarto, tomar banho, vestir a roupa de dormir, e ter meu computador à minha disposição ali mesmo, para que eu faça o backup das fotos e compartilhe algumas antes de ir dormir.

71 visualizações0 comentário